CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Mercados por TradingView

A Selic vai cair? Entenda os próximos movimentos da taxa e saiba como se preparar!

31 de agosto de 2023
Escrito por Guide Investimentos
Tempo de leitura: 5 min
Compartilhar
imagem ilustrativa

Por ser a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic afeta diversos setores e é um referencial para diversas decisões financeiras. Em 2023, por exemplo, o índice iniciou o ano em patamares elevados, mas os movimentos recentes da política monetária fizeram muitas pessoas se perguntarem se a Selic vai cair.

Para conhecer as alterações na taxa de juros, é necessário acompanhar as decisões do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central do Brasil (Bacen). O órgão se reúne a cada 45 dias e é responsável por definir o comportamento da Selic e, consequentemente, o curso da economia brasileira.

Quer saber mais sobre as alterações recentes da Selic e como se preparar para os próximos movimentos? Continue a leitura para conferir!

Quais são os movimentos mais recentes da Selic?

A Selic impacta as outras taxas de juros praticadas no país, como aquelas aplicadas em empréstimos, financiamentos, e o rendimento dos investimentos. Por esse motivo, é especialmente relevante acompanhar as suas alterações.

Convém destacar que a Selic é um instrumento da política monetária que tem como principal função manter a inflação em equilíbrio, seguindo as metas do Conselho Monetário Nacional (CMN). Na prática, o seu aumento tende a pressionar a inflação para baixo, sendo uma manobra para atenuar as altas no indicador.

No entanto, essa estratégia costuma ter efeitos negativos para a população, tais como crédito mais caro, desemprego e redução nos investimentos. Ainda assim, para atuar no controle da inflação, a Selic passou por sucessivos aumentos que começaram em março de 2021.

Já em 2022, a taxa básica de juros do Brasil encerrou o resultado a 13,75% ao ano — patamar que havia sido atingido em agosto daquele ano. Esse foi o maior percentual registrado desde janeiro de 2017.

Ao longo do primeiro semestre de 2023, nas reuniões que ocorreram até junho, a taxa permaneceu em 13,75% ao ano. Na reunião de 2 de agosto, contudo, o Copom optou por baixar a Selic para 13,25% a.a.

Afinal, a Selic vai cair?

Na reunião de agosto de 2023, a Selic caiu 0,50 ponto percentual. A redução esteve alinhada com a projeção de queda feita por analistas do mercado financeiro. A expectativa se deu pela tendência de queda da inflação, registrada pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA).

Em junho, o Brasil teve uma deflação de 0,08%, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como resultado, o IPCA acumulado em 12 meses foi de 3,16%. Essa é uma queda em relação ao mesmo período de 2022, quando a inflação acumulada em 12 meses era de 11,89%.

Com o desempenho recente, a expectativa é a de que o IPCA chegue ao final do ano com um percentual próximo da meta do BC — de 3,25% — com uma variação esperada entre 1,75% e 4,75%.

Esse contexto é considerado favorável para a redução da taxa Selic. Não há no cenário interno ou externo a projeção de acontecimentos que poderiam alterar de forma significativa as previsões para o IPCA — mas isso não significa que eles não existam.

De qualquer forma, um dos fatores que impactam a economia nacional é o dólar, que teve um recuo de 9,28% no primeiro semestre de 2023. A moeda é relevante por ser a referência para as importações no Brasil. Se a queda do dólar se consolidar e a inflação permanecer sob controle, a propensão é de que a Selic caia nos próximos meses.

O que esperar das próximas reuniões do Copom?

Após a reunião no começo de agosto, o Copom ainda se reunirá no ano de 2023, podendo consolidar as expectativas de redução na taxa Selic. Os próximos encontros estão marcados para:

  • 19 e 20 de setembro;
  • 31 de outubro e 1º de novembro;
  • 12 e 13 de dezembro.

O Boletim Focus — publicado semanalmente pelo Bacen — divulgado em 21 de agosto trouxe uma expectativa de que a taxa básica de juros finalize o ano de 2023 em 11,75% a.a. Esse resultado indica que novos cortes da mesma magnitude de agosto podem ocorrer nos próximos meses.

Logo, se as projeções se mantiverem, a Selic vai cair ainda mais até o final do ano. Para isso, entretanto, os membros do Copom devem realizar uma análise completa da situação econômica do país para avaliar se manterão a tendência de redução.

Como investir tendo em vista esses movimentos da Selic?

Como foi possível aprender, a Selic deve cair até o final de 2023. Assim, é importante que os investidores avaliem a conjuntura para tomarem boas decisões no mercado financeiro. Conforme você viu, a taxa básica de juros da economia brasileira afeta diversos setores e os investimentos.

Mas é válido considerar que algumas alternativas são mais sensíveis a esse indicador do que outras. É o caso dos títulos de renda fixa com rentabilidade pós-fixada que estão atrelados ao desempenho da Selic, como o Tesouro Selic.

Essa classe também conta com investimentos atrelados ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que costuma ter um percentual próximo ao da taxa de juros. Portanto, os investimentos cuja Selic é o benchmark terão queda nos rendimentos se novas quedas da taxa se consolidarem.

É necessário estar atento a essas movimentações, pois se as quedas forem bruscas, o desempenho das alternativas pode não ser o ideal para atender aos seus interesses.

Mesmo assim, é fundamental manter a calma e não modificar a carteira com base apenas nas projeções de curto prazo ou em resposta às mudanças. É necessário avaliar quais são as expectativas para a taxa de juros no longo prazo e como elas afetam o seu portfólio.

Além desse estudo, é benéfico verificar se a queda da Selic prejudica os seus objetivos nos investimentos. Desse modo, você terá condições de avaliar a necessidade de ajustes na carteira.

Ainda, considere ter o portfólio diversificado para não ter seus resultados atrelados a apenas uma condição. Dessa forma, você evita que a maior parte do patrimônio seja afetada da mesma forma e diante de um determinado cenário do mercado, equilibrando o seu portfólio.

Conclusão

O cenário econômico indica a tendência de que a Selic vai cair até o final de 2023. Como o movimento da taxa básica de juros impacta diversas operações financeiras, os seus investimentos também podem ser afetados. Logo, convém entender essa variação para saber como se posicionar.

Quer ajuda para entender melhor os cenários econômicos e do mercado financeiro? Abra a sua conta na Guide e tenha o apoio dos nossos assessores!

[IN-CONTENT] ABRA SUA CONTA [NOVO] - NORMAL - END

Baixe agora o E-book Relatório Anual 2024 - O ano da virada

Enviando...

Veja também

Fique por dentro

Assine a nossa newsletter semanal

e não perca nenhuma novidade do nosso portal gratuito e da área de assinante com conteúdo exclusivo!

/ Enviando...