CabeçalhoConteúdoNewsletterRodapé

Mercados por TradingView

O que é renda variável e como começar a investir

9 de agosto de 2023
Escrito por Syntax Finance
Tempo de leitura: 9 min
Compartilhar
imagem ilustrativa

Desde que a taxa de juros do país atingiu mínimas históricas em 2020, os brasileiros, que até então tinham perfil conservador, passaram a incluir ativos de renda variável em suas carteiras, assumindo mais riscos para aumentar a possibilidade de ganhos.

O levantamento realizado pela B3, relativo ao primeiro trimestre de 2023, revela que o número de pessoas físicas com posições em renda variável ou equities na bolsa de valores aumentou em 23% em relação ao primeiro trimestre de 2022. 

Quer saber mais sobre essa classe de investimento? Então, siga neste conteúdo e conheça os principais tipos de ativos que o mercado de renda variável oferece.

Veja como abordaremos este assunto:
O que é renda variável e como funciona?
Conheça os principais produtos da renda variável
Qual a diferença entre renda variável e renda fixa?
É seguro investir em renda variável?
Como funciona a tributação da renda variável?
Afinal, qual é o melhor investimento da renda variável?
Como começar a investir na renda variável?
Considerações sobre a renda variável

Continue a leitura e entenda como os produtos de renda variável podem contribuir com o retorno dos seus investimentos.

O que é renda variável e como funciona?

A renda variável é uma classe de investimento na qual os ativos são expostos diretamente às variações de mercado. Por este motivo, o investidor não consegue mensurar com exatidão quanto de retorno terá em suas aplicações financeiras. 

Basicamente, o rendimento da renda variável é determinado pela flutuação dos preços dos ativos. Isso faz com que ela tenha uma maior exposição ao risco e alta volatilidade

Em contraparte, os produtos que compõem essa categoria de investimento oferecem maior potencial de rentabilidade, especialmente no longo prazo. 

Conheça os principais produtos da renda variável

A renda variável oferece inúmeras opções de investimento para aqueles que estão dispostos a correr mais riscos em busca de ganhos mais atrativos. A seguir, confira os principais produtos disponíveis:

Ações

São títulos negociados na bolsa de valores que representam uma pequena parcela do capital social de uma empresa. Assim, ao adquiri-las, o investidor torna-se sócio e com isso detentor de direitos e deveres, proporcionais ao tamanho de sua posição. 

Certamente, essa modalidade de investimento é a mais conhecida e acessível do mercado de renda variável.

Talvez você se interesse pelas carteiras recomendadas de ações da Guide (carteira semanal, Top Picks, dividendos, small caps e carteira valor).

Fundos imobiliários

Trata-se de fundos de investimentos que aplicam o seu patrimônio em ativos relacionados ao mercado imobiliário, como shoppings, hospitais, agências bancárias, lajes corporativas, galpões logísticos, dentre outros. 

Suas cotas são negociadas na bolsa brasileira e um dos seus atrativos é o recebimento de rendimentos mensais isentos de imposto de renda para pessoa física, que podem ser utilizados como renda passiva. 

Desta forma, o investidor ganha tanto com a valorização das cotas quanto com os dividendos. Vale mencionar que esses rendimentos são frutos de aluguéis e amortizações.

Aproveite e confira a carteira de fundos imobiliários preparada pelos especialistas da Guide Investimentos!

ETFs

Do inglês Exchange Traded Fund, os ETFs são fundos com cotas negociadas na bolsa que reproduzem a carteira teórica de um determinado índice de referência como, por exemplo, o índice Bovespa. 

Os ETFs, também conhecidos como “fundos de índices”, equivalem a uma modalidade de baixo custo, que permite ao investidor estruturar uma carteira de investimento diversificada, bem como diminuir os riscos envolvidos.

BDRs

Os Brazilian Depositary Receipts, mais conhecidos pela sigla BDR, são certificados de depósito de valores mobiliários emitidos no Brasil lastreados em ações de empresas estrangeiras.

Negociados na bolsa brasileira, esses ativos de renda variável são excelentes alternativas para os brasileiros investirem no mercado internacional sem ter que sair do país.

Na Guide, você tem acesso a uma carteira recomendada de BDRs, atualizada mensalmente. Vale a pena conferir!

Fundos de ações

São fundos de investimento que utilizam, no mínimo, 67% do seu patrimônio para investir em ações e/ou em ativos relacionados, tais como cotas de outros fundos de ações, ETFs, bônus de subscrição, entre outros. 

Os fundos de ações são uma alternativa aos investidores que desejam ingressar no mercado de renda variável, mas ainda não se sentem totalmente seguros, assim como para aqueles que têm conhecimento, mas optam por uma gestão profissional.

Fundos multimercado

Trata-se de um tipo de fundo de investimento com mais liberdade para gerir seu patrimônio líquido, podendo investir em vários mercados simultaneamente.

De maneira geral, os fundos multimercado aplicam em diferentes categorias de ativos como ações, ETFs, derivativos, renda fixa e cotas de outros fundos, respeitando sempre o nível de exposição ao risco estabelecido. 

Derivativos

Refere-se a uma classe de ativos cujos valores dependem do comportamento de outros ativos, físicos (café, boi, ouro) ou financeiros (ações, taxas de juros). Estes, por sua vez, podem ser negociados no mercado à vista ou não. 

Dentre os tipos de derivativos disponíveis no mercado financeiro, podemos mencionar os contratos futuros, as opções de compra e venda, contratos a termo, entre outros.

Commodities

Do inglês “commodity”, referem-se às mercadorias produzidas e processadas em grande escala, que podem ser armazenadas por um período longo de tempo sem comprometer sua qualidade, tais como o ferro, milho, trigo, dentre outros. 

Os preços das commodities variam baseados na oferta e na procura. Elas são negociadas diariamente no mercado futuro, em que os contratos servem como proteção contra as grandes oscilações nos preços desses produtos.

Câmbio

Trata-se de uma modalidade que aposta na valorização de uma determinada moeda. Para isso, são negociadas em pares, tais como: euros por reais, reais por dólares, dólares por euros, entre outros. 

Em geral, o mercado de câmbio é muito mais volátil que o de ações, logo mais arrojado. Contudo, não podemos deixar de mencionar que o câmbio pode ser um excelente instrumento para diversificação e proteção (hedge) das carteiras. 

Os fundos cambiais e os contratos futuros de dólar estão entre os investimentos disponíveis para ingressar nesse mercado.

Qual a diferença entre renda variável e renda fixa?

Diferentemente da renda variável, a renda fixa é uma categoria com maior previsibilidade de resultados e baixa volatilidade. Ela envolve menos riscos e, consequentemente, apresenta menor rentabilidade. 

Os ativos de renda fixa costumam ter taxas de retorno prefixadas, pós-fixadas ou híbridas que trazem mais segurança ao investidor. Sendo, portanto, o oposto da renda variável, cujo potencial de retorno é maior, porém imprevisível. 

Embora sejam categorias distintas, é importante reforçar que não é necessário optar por apenas uma delas.

Na verdade, as diferenças entre renda fixa e renda variável permitem aos investidores compor um portfólio capaz de se beneficiar dos diversos tipos de cenários econômicos. Por isso, a diversificação e o equilíbrio são peças-chave em todo planejamento financeiro.

É seguro investir em renda variável?

Embora a renda variável não ofereça nenhum tipo de garantia ao investidor, é possível investir com segurança nessa categoria. 

Nesse caso, os ativos escolhidos é que vão determinar quão seguro o dinheiro está. Por isso, tome decisões baseadas em análises criteriosas e preze pela diversificação da sua carteira de investimentos. 

Além de mitigar riscos, um portfólio diversificado permite que o investidor passe por momentos de estresse do mercado com mais tranquilidade.

Como funciona a tributação da renda variável?

Os investimentos em renda variável possuem diferentes formas de tributação e recolhimento de imposto de renda.

Por exemplo, o ganho de capital conquistado na negociação de ações e de outros ativos financeiros na bolsa de valores são tributadas em 15% e o recolhimento é feito via Documento de Arrecadação da Receita Federal (DARF).

As cotas dos fundos de investimento imobiliários, por outro lado, são tributadas em 20% quando vendidas com lucro, enquanto os dividendos são isentos de imposto de renda.

No caso dos fundos de ações, a alíquota é de 15%, contudo o imposto é retido direto na fonte. Já os fundos multimercado, normalmente seguem a tabela regressiva do IR, cuja alíquota máxima é de 22,5% e a mínima é de 15% após dois anos de aplicação.

Afinal, qual é o melhor investimento da renda variável?

Independentemente da categoria de ativos, o melhor investimento será sempre o que estiver mais alinhado aos seus objetivos financeiros, necessidades, horizonte de aplicação, liquidez e, principalmente, perfil de investidor.

A renda variável é uma modalidade que envolve riscos, alta volatilidade e pode resultar em perdas financeiras no curto prazo. Por este motivo, ela é recomendada para investidores com perfil de risco moderado ou arrojado e que tenham foco no longo prazo.

Como começar a investir na renda variável?

Investir em renda variável é relativamente fácil e acessível. Ao decidir ingressar nesse mercado, você precisa escolher uma corretora de valores para atuar como intermediadora na execução de suas operações. 

Em geral, as modalidades mais procuradas são as ações e os fundos de investimentos, sejam imobiliários, de ações ou cambiais. 

Lembre-se que tão importante quanto a estratégia escolhida é ter consciência dos riscos envolvidos e da volatilidade que estará exposto, principalmente no curto prazo. 

Por isso, antes de começar as suas aplicações, verifique se elas condizem com o seu perfil de investidor.

Considerações sobre a renda variável

O acesso à informação, aliado à educação financeira, encorajou os brasileiros a buscarem nos ativos de renda variável retornos mais atrativos para as suas carteiras de investimentos. 

Nem mesmo o cenário econômico de juros altos, favorável para as aplicações de renda fixa, interrompeu a mudança de comportamento dos investidores. 

Mas atenção, ao decidir aplicar nessa modalidade, lembre-se que ela possui características peculiares e envolve riscos que exigem atenção. 

Agora que você conhece essa categoria de ativos, conte com o time de assessores da Guide para identificar as melhores opções de investimentos para o seu perfil de investidor.

Quer entender mais sobre renda variável? Conheça O Guia Financeiro VIP e aproveite para destravar o seu conhecimento sobre o mercado financeiro!

Se você ainda não é cliente, abra sua conta na Guide Investimentos e invista com quem te entende!

Você pode se interessar também por:

[IN-CONTENT] ABRA SUA CONTA [NOVO] - NORMAL - END
Compartilhar artigo

Baixe agora o E-book Relatório Anual 2024 - O ano da virada

Enviando...

Veja também

Fique por dentro

Assine a nossa newsletter semanal

e não perca nenhuma novidade do nosso portal gratuito e da área de assinante com conteúdo exclusivo!

/ Enviando...